5 de maio de 2011

Fim

Para mim acabou. O Balanço Oficial de 2010 foi demais da conta (ver postagem abaixo) não quero nem esperar para ver como vai terminar a tenebrosa história do novo estádio. Perdi o prazer de acompanhar o Palmeiras. O fato é que o clube pertence a um bando de marginais e não estou nem um pouco interessado em sustentar esta corja. Não irei mais aos estádios, já cancelei o PPV e agora vou acompanhar apenas os campeonatos europeus para satisfazer meu gosto por futebol. Para dizer a verdade, bom futebol mesmo eu não vejo no Brasil já há alguns anos.

Assim me junto ao crescente grupo de ex-palmeirense que abandonam a equipe por nojo daqueles que o comandam. Até com os torcedores estava ficando difícil conversar. Um significativo grupo deles só sabe choramingar contra os juízes e a imprensa, como se estes fossem os responsáveis pela total decadência do time. Fanatismo até se agüenta, mas idiotice é demais.

Deixarei o site no ar como registro da podridão que devastou o Palmeiras.

Um abraço e boa sorte àqueles que acompanharam este blog nestes quase três anos.

2 de maio de 2011

Balanço oficial de 2010: a prova cabal

A divulgação do balanço financeiro do clube referente ao ano passado representa mais uma vergonha para este Palmeiras que um dia já foi uma grande equipe de futebol. A turma do bosta do Belluzzóquio conseguiu apresentar um balanço recusado pelos auditores tamanho o número e importância das falcatruas ali inseridas para tentar, mesmo que pateticamente, camuflar a calamitosa gestão daqueles ladrões. Eles queriam apresentar um déficit no exercício de "apenas" R$25,5 milhões quando na verdade este déficit foi de R$66,2 milhões (os auditores apuraram um déficit de R$97,2 milhões, mas na conta acima exclui a variação patrimonial decorrente da demolição do estádio). Sempre de acordo com os balanços oficiais do clube, no ano 2000 a Santa Parmalat deixou o clube com uma fortuna de mais R$60 milhões em caixa. Nos anos seguintes a gangue de Mustafá se encarregou de roubar este dinheiro todo. Reparem pela série histórica abaixo como o assalto se intensificou nos anos 2006 e 2007 quando aqueles merdas perceberam que seus dias no poder estavam ameaçados. Aí veio o bando de Belluzzóquio e o descalabro continuou, mas quando o petista de merda em pessoa assumiu a presidência ele usou todo seu conhecimento de economista (do Plano Cruzado) para gerar um déficit de R$107,4 milhões em apenas dois anos! Surpresa? Não para quem conhece esta raça esquerdista que só sabe locupletar-se enquanto destrói tudo o que toca. Veja a seqüência dos resultados operacionais do clube desde 2000:

Demonstração de Resultado Operacional
2010: déficit de R$66,2 milhões
2009: déficit de R$41,2 milhões
2008: déficit de R$9,5 milhões
2007: déficit de R$24,2 milhões
2006: déficit de R$37,2 milhões
2005: déficit de R$6,1 milhões
2004: superávit de R$8,8 milhões
2003: déficit de R$15,3 milhões
2002: déficit de R$11,7 milhões
2001: déficit de R$ 0,4 milhões
2000: superávit de R$63,5 milhões


Naturalmente tamanha roubalheira teve conseqüências dramáticas no nível de endividamento do clube. Apenas junto aos bancos a dívida pulou de R$48,2 milhões em 2009 para R$74,4 milhões ao final do ano passado. Nos dois anos de sua gestão direta Belluzzóquio conseguiu aumentar a dívida bancária de R$15,6 milhões para estes R74,4 milhões! É de impressionar qualquer um, mesmo vindo de um comunista de merda!
Depois que a Santa Parmalat foi embora o time passou de um clube sem dívidas para terceira equipe mais endivida com bancos no Brasil (só não tem mais dívidas com bancos do que o Atlético-MG e Vasco da Gama). Este é pior tipo de dívida (comparada com as dívidas com contratações, fiscais e trabalhistas) dado que o Brasil tem a mais alta taxa de juros do mundo. Segue série histórica destes empréstimos:


Empréstimos financeiros (junto aos bancos):
2010: R$74,4 milhões
2009: R$48,2 milhões
2008: R$15,6 milhões
2007: R$15,9 milhões
2006: R$11,2 milhões
2005: R$ 9,6 milhões
2004: R$ 4,3 milhões
2003: R$ 2,3 milhões
2002: R$ 3,4 milhões
2001: R$ 3,2 milhões
2000: zero


Pensam que a desgraceira acabou? Que nada! Em obrigações pendentes junto a pessoa jurídica de direito privado proveniente de contratações, sempre com base nos balanços oficiais do clube, vemos todo o custo Valdivia, entre outros, explodindo. São mais R$39,8 milhões em dívidas deste tipo no término do ano passado, sendo R$32,2 milhões acumulados apenas na gestão direta de Belluzzóquio. Este grande bosta conseguiu em dois anos, e só nestes dois quesitos (bancos e contratações), acumular uma dívida adicional de R$91,0 milhões para que? Brindar a torcida com o 11º lugar no campeonato paulista do ano passado? Nem a gestão Sacomani foi tão desastrosa! E Belluzzóquio faz o energúmeno Mustafá parecer um coroinha de igreja. Segue a série das dívidas pendentes com contratações desde o ano 2000:

Dívida com terceiros proveniente de contratações
2010: R$39,8 milhões
2009: R$17,7 milhões
2008: R$ 7,6 milhões
2007: R$ 5,0 milhões
2006: R$ 3,3 milhões
2005: R$ 1,0 milhão
2004: R$ 3,7 milhões
2003: R$ 1,5 milhões
2002: R$ 2,7 milhões
2001: R$ 5,1 milhões
2000: R$ 5,9 milhões


Não. Ainda não acabou. A dívida fiscal e trabalhista cresceu de R$53,7 milhões em 2009 para R$58,5 milhões no ano passado, e as provisões para futuras perdas cíveis trabalhistas dadas como certas subiu de R$2,2 milhões para R$5,7 milhões em 2010. Aqui também Belluzzóquio deixou a sua marca: estas dívidas pularam de R$41,5 milhões em 2008 para os R$64,2 milhões acima, fazendo com que Belluzzóquio tenha acumulado o total de R$113,7 milhões em dívidas adicionais nestes seus dois anos calamitosos.
Assim as principais dívidas do clube (bancos, contratações, fiscais e trabalhistas) atingiram R$178,4 milhões e já colocam o clube como o sexto mais endividado do país, atrás apenas dos quatro grandes do Rio de Janeiro e do Atlético-MG
.


O custo do departamento de futebol profissional alcançou a incrível marca de R$125 milhões em 2010, comprovando aquilo que já sabíamos: o Palmeiras é disparado o elenco e comissão técnica mais caros do país... só os resultados em campo não mostram isso. Nos últimos três anos os meliantes do Muda Palmeiras (agora também dispersos em outras facções, fugindo do escândalo) dobraram o custo do futebol que era de R$62 milhões em 2007. Que resultados alcançaram com isso? A desclassificação para o rebaixado Goiás na Sulamericana.

Durante as acaloradas reuniões do COF apareceram várias provas que demonstraram o porquê das absurdas mais de 80 contratações nos últimos quatro anos. As inacreditáveis comissões pagas a "laranjas" em cada transação, e até em renovação de contrato de jogadores, são um escândalo. Até empresa aberta em nome de sócios-merdas apareceu recebendo comissão. Mais uma confirmação daquilo que já sabíamos.

Mustafá roubou o que o time tinha em caixa. Como o caixa já estava zerado quando assumiram o poder, Belluzzóquio e seus comparsas não se acanharam em enterrar o clube em dívidas para roubar o seu quinhão, e que quinhão!

Tudo no clube fede. Os departamentos são aparelhados com amigos, quando não parentes, com salários absurdos diante da ridícula mensalidade cobrada, pois no final é o torcedor otário quem vai pagar a conta. Histórias incríveis de cão de guarda ao custo de R$3 mil por mês, superfaturamento em toda e qualquer compra (até de azeitonas), roubo de móveis, viagens e ingressos grátis para os amigos, tudo é imundo e nojento naquelas alamedas. Cada sócio-merda quer um pedaço dos espólios e se estapeiam por isso. Eles se espalham em sites e fóruns visando defender seus interesses mesquinhos. Tem puxa-saco de Belluzzóquio até hoje tentando tirar os pentelhos dele da boca. Por que defendiam os absurdos que estavam à vista de todos e agora comprovados nos balanços oficiais? Uma hipótese é a deles serem apenas idiotas úteis recrutados com tapinhas nas costas e convitinhos para tomar café com o Presidente. Mas acho esta versão Poliana em demasia. Por mais estúpidos que estes sujeitos sejam, e claramente o são, aí também rolou interesse financeiro, mesmo que fosse um ingresso de jogo. Afinal, vagabundo se vende por pouco.

E o que fazem os dirigentes atuais? Chamaram a polícia, abriram processo, expulsaram alguém do clube? Nada. Afinal é tudo farinha do mesmo saco, é tudo sócio do clube social, é tudo sócio-merda. 

 

Palmeiras (5) 1 x 1 (6) Corinthians


Tendo pela frente um Corinthians destruído pela recente e precoce eliminação da Libertadores (convenhamos, este elenco e o técnico são os mais fracos do Corintans nos últimos anos) e, caso vencesse, um Santos cansado e focado na Libertadores na final, as chances de título eram bem reais. E o começo do jogo logo demonstrou que ao menos a primeira parte acima estaria bem encaminhada: o Palmeiras dominava totalmente o jogo e em poucos minutos já criara várias oportunidades de comandar o placar. Aí as coisas começaram a dar errado. Primeiro Valdivia voltou a se machucar. Mas Lincoln estava no banco e as coisas não mudariam muito se Danilo "Cuspe" não tivesse sido expulso. "Cuspe" vinha tentando a expulsão de todas as maneiras desde o jogo contra o Mirassol, mas naquela partida contou com a complacência do árbitro. No domingo o juiz era outro e não perdoou suas deslealdades recorrentes. Assim, com vinte minutos de jogo o time perdia sua peça de armação e ficava com um homem a menos. O já costumeiro descontrole de Felipão no banco também gerou a sua própria expulsão. Mas a diferença de momento dos dois times era tão flagrante que mesmo assim o Palmeiras continuou melhor e abriu o placar. Mas o time voltou a bobear numa bola alçada para sua área e cedeu o empate. No final a derrota nos pênaltis e uma boa chance de título que se esvaiu.

Deola: Compartilha com a defesa o problema na bola aérea.
Cicinho: Atuação normal até se contundir. João Vitor: As limitações de sempre.
Danilo "Cuspe": Aprontou mais uma vez, prejudicando o time.
Thiago Heleno: Boa atuação no seu estilo rebatedor.
Rivaldo: Só correria e muitas faltas.
Márcio Araujo: Bom na marcação e ainda tentou armar o ataque.
Marcos Assunção: Também foi bem, desdobrando-se para municiar o ataque.
Tinga: Mais uma má partida. Patrik Camilo: Não foi notado em campo.
Valdivia: Vinha bem até a contusão. Leandro Amaro: Não comprometeu.
Kleber: Muita luta mas futebol apenas razoável.
Luan: Ainda não aprendeu a chutar.


Agora (infelizmente) o time pode focar-se na Copa do Brasil, competição mais rentável e importante que ao estadual. E quinta-feira joga contra o Coritiba no Paraná. Vai ser interessante acompanhar este adversário que vem de seguidos sucessos dentro do seu estado e contra adversários fracos das primeiras rodadas desta Copa.

1 de maio de 2011

Revelações

Desde o começo de 2007 o Palmeiras contratou até agora 83 jogadores. Dentre eles haviam algumas poucas revelações vistas com esperança pela maior parte da torcida: o zagueiro Henrique, o atacante Keirrison, o meia Willians, o atacante Marquinhos e, mais recentemente o volante Tinga. Porém nenhum vingou efetivamente. Henrique e Keirrison jogaram bem, mas não ficaram nem quatro meses no clube. Willians e Marquinhos, ambos também trazidos pela Traffic como no caso dos jogadores do Coritiba acima, decepcionaram e seguem sem apresentar um bom futebol nas suas atuais equipes. E o volante Tinga, depois de apresentar alguns bons momentos no início, caiu de produção e hoje é reserva de jogadores medíocres como Patrik Camilo e Luan. Além de não conseguir revelar jogadores das bases, o Palmeiras também não consegue trazer do mercado boas revelações. Somando estes fatos com a criminosa Cesta de Atletas e a obscura parceria com a Traffic, não é de se admirar que há alguns anos o clube não consegue arrecadar uma boa soma com a venda de jogadores. Mas os dirigentes não reclamam, afinal eles estão faturando o deles, não é mesmo?

1977 o ano fatídico

O ano de 1977 vai ficar marcado como o ano no qual o Palmeiras deixou de ser um grande time. Naquele ano os sócios-merdas descobriram que podiam roubar quanto quisessem sem que nada de mal pudesse lhes acontecer. O vagabundo Sacomani deu a deixa, e de lá para frente o Palmeiras se tornou um dos clube mais corrupto da face da terra. A conseqüência disto nos campos foi visível, o time praticamente não ganhou mais nada, com exceção do milagre Parmalat que, tirando o futebol profissional das mãos dos sócios-merdas, trouxe importantes conquistas no período compreendido entre 1992 e meados do ano 2000.

Para se dar uma idéia do que representava o Palmeiras no cenário paulista basta lembrar que em 1976 o time liderava em número de títulos estaduais com 18 conquistas contra 15 do Corinthians, 13 do Santos e 11 do São Paulo. E nos 34 anos desde então, o time conquistou apenas 4 títulos paulistas, sendo 3 destes através da Parmalat, enquanto o Corinthians ganhou 11, o São Paulo 10 e o Santos 5 títulos. Ou seja, sozinho o clube ganhou apenas um título estadual neste período, igualando-se ao São Caetano, Internacional de Limeira Ituano e Bragantino.

No cenário nacional o quadro é ainda mais contrastante. Com os campeonatos brasileiros iniciando-se apenas em 1959, em 1976 o Palmeiras reinava só com o Santos tendo cada time obtido 6 títulos. O outro time mais próximo era o Internacional-RS com apenas 2 conquistas. Adversários tradicionais como São Paulo e Corinthians não tinha obtido nenhum título nacional ainda. Mas desde 1976 o Palmeiras só ganhou seus adicionais 2 título nacional durante a gestão Parmalat. Enquanto isso São Paulo e Flamengo ganharam 6 títulos cada, o Corinthians 4, o Vasco da Gama 3 e Fluminense, Santos e Grêmio levantaram a taça 2 vezes cada um. Sem a Parmalat o time ficaria atrás de equipes como Sport-PE, Coritiba, Atlético-PR e Bahia.

Mesmo na esvaziada Copa do Brasil, que começou a ser disputada apenas em 1989, o Palmeiras só conseguiu o título uma única vez, e graças a Parmalat, façanha igualada por times como Paulista, Santo André, Sport-PE e Criciúma, e sem o apoio milionário de uma multinacional.

Assim, do maior time brasileiro, o Palmeiras depois de 1976 virou apenas mais um, e se não tivesse havido o milagre Parmalat seria um time pequeno. Mas os sócios-merdas continuam contando com uma torcida, que apesar de vir diminuindo a olhos vistos, é ainda numerosa para encher o time de dinheiro com o qual eles se locupletam.

Até quando...

25 de abril de 2011

Sub-17 e sub-15 venceram no fim de semana

O sub-17 venceu pela terceira vez seguida neste princípio de estadual da categoria. No último sábado venceu a Portuguesa de Desportos – 2 a 1 – pela terceira rodada e já lidera com folga o seu grupo.

Já os infantis (sub-15) se recuperaram e venceram o mesmo adversário por 3 a 1. Esta primeira vitória levou o time à quinta posição no grupo, ainda fora dos quatro que avançam para a próxima fase. Mas ainda há muito tempo para garantirem a classificação.

O ano começa agora!

Próximo domingo começa o ano para o Palmeiras. Apesar do ridículo calendário futebolístico nacional, que dá pouco menos de um mês para os times se prepararem antes do início dos jogos oficiais, fato é que estes jogos são quase que exclusivamente com equipes pequenas e frágeis. Das 25 partidas disputadas até agora o Palmeiras enfrentou apenas três equipes da primeira divisão do futebol nacional, outras cinco equipes enfrentadas disputam a segunda divisão, e os restantes dezessete times praticamente não existe. Prova disto esta na campanha contra estes tão distintos grupos de adversários:

Equipes da Série A: 3J – 1V – 1E – 1D

Equipes da Série B: 5J – 3V – 1E – 1D

Outras equipes: 17J – 15V – 2E – 0D
(J = jogos / V = vitória / E = empate / D = derrota)


Felipão aproveitou bem esta disfarçada pré-temporada de quatro meses e ajustou o time o melhor que ele pode. De agora em diante o time terá apenas equipes da Série A pela frente. Se tudo der certo, e o time avançar às finais estaduais e da Copa do Brasil, eis a provável seqüência de jogos até o final da Copa do Brasil:

Corinthias (Semifinal do Paulistão)
Coritiba (Quarta-de-Final da Copa do Brasil)
Santos ou São Paulo (Final do Paulistão)
Coritiba (Quarta-de-Final da Copa do Brasil)
Santos ou São Paulo (Final do Paulistão)
Flamengo (provável adversário na semifinal da Copa do Brasil)
Botafogo (Série A)
Flamengo (provável adversário na semifinal da Copa do Brasil)
Cruzeiro (Série A)
São Paulo (provável adversário na final da Copa do Brasil)
Atlético-PR (Série A)
São Paulo (provável adversário na final da Copa do Brasil)
Internacional-RS (Série A)


A partir do jogo contra o Corinthians seriam sempre dois jogos por semana, sem descanso, com potencial para cinco clássicos regionais nestas treze partidas. Não seria nada mal para um "começo de ano".

Palmeiras 2 x 1 Mirassol


Como já era esperado o Palmeiras não teve nenhum problema para passar pelo Mirassol. A vitória por 2 a 1 – gols de Valdivia e Márcio Araújo – exigiu muito pouco do time. Já aos dez minutos de jogo o time saiu na frente, e depois de sofrer o empate não demorou mais de dezesseis minutos para voltar a comandar o placar. Felipão arrumou a defesa usando os volantes, apenas as bolas paradas alçadas à área seguem como calcanhar de Aquiles. E no ataque Valdivia e Kleber se encarregam de buscar os gols. Esse é o time que vai disputar os títulos neste primeiro semestre.

Deola: Pouco trabalho.
Márcio Araújo: Mesmo deslocado, novamente foi o jogador que mais se destacou na equipe.
Danilo "Cuspe": Cansou de distribuir pontapés, inclusive nos adversários já caídos ao chão. Menos mal que este bosta já foi vendido.
Leandro Amaro: Jogou na sobra e abusou dos chutões.
Rivaldo: Não comprometeu defensivamente.
João Vitor: Funcionou defensivamente, e só.
Marcos Assunção: Melhorou de produção jogando mais atrás.
Tinga: Segue perdido em campo, ajudando apenas na marcação e sem produtividade na armação. Chico: Entrou para marcar, e assim o fez.
Valdivia: Não foi mal, mas novamente aquém do seu potencial. Lincoln: Sem tempo.
Luan: Tenta e tenta acertar, mas falta-lhe futebol.
Kleber: Muito isolado na frente, pouco produziu.


E lá se foram as quartas-de-final. Ainda bem! Pois já não agüentava mais ver jogadores e treinadores dos grandes times dizerem que os jogos seriam "difíceis", pois as equipes eram "muito niveladas." Que conversa era essa?! Com folhas de pagamentos mais de dez vezes superiores eles tem coragem de falar em nivelamento? Então por que custam tão mais caro? Não tem conversinha de "respeito ao adversário" que justifique isso. Equipes tão caras são sempre disparado favoritas e têm que assumir isso. Senão que reduzam suas pedidas salariais. 

24 de abril de 2011

Os palmeirenses do Olaria

Ontem a equipe do Oeste, em São Paulo, e a do Olaria, no Rio de Janeiro, disputaram e perderam partidas pelas semifinais dos respectivos campeonatos estaduais. E o que tem o Palmeiras com isso? É que ambos os times têm jogadores emprestados pelo alviverde.

No Oeste treinam, pois nunca jogam, os infames Bruno Matos e Júlio César. Aqueles mesmos que depois de treinarem experimentalmente com Felipão por 45 dias foram contratados junto ao XV de Piracicaba e ganharam contrasto de cinco anos! Ruins de dar dó, nunca tiveram chances com Felipão e foram emprestados para o Oeste como troco na vinda de Cicinho. Mas nem lá os dois jogadores conseguiram jogar. Por que foram contratados e assinaram contratos tão longos? Na resposta a esta pergunta está a evidência de que Felipão já não é tão honesto quanto na sua primeira passagem pelo Palestra. Os dois atletas voltam do empréstimo no mês de maio e tudo indica que ficarão muitos anos na caçamba.

Já na equipe carioca a situação é um pouco melhor. O segundo volante Danilo e o meia-atacante Felipe, ambos formados no sub-20 do Palmeiras, foram titulares ao longo de toda a competição. Felipe inclusive é o artilheiro da equipe com sete gols, três a menos que o líder da artilharia Fred do Fluminense. Danilo, 22 anos, e Felipe, 20 anos, têm contrato com o clube até meados de 2013 e voltam do empréstimo no próximo mês. Dos dois, creio que apenas Felipe deva ser mais bem observado.

22 de abril de 2011

Palmeiras 1 x 0 Santo André


Mesmo atuando abaixo do seu potencial o Palmeiras não viu o Santo André ameaçar sua classificação para as quartas-de-final da Copa do Brasil em nenhum momento. Ao final ainda conseguiu um gol em cobrança de escanteio e venceu por 1 a 0 – Danilo – com tranqüilidade. Com Kleber e Valdivia bem marcados e pouco inspirados o time dependia de Luan, Tinga e dos laterais para criarem algo, mas nada aconteceu. Luan é ruim mesmo, Tinga segue sem mostra evolução, Rivaldo é ridículo e Cicinho ainda não aprendeu a cruzar. O time precisa de mais um jogador de meio de campo que possa criar, e assim dividir esta tarefa com Valdivia.

Deola: Atento nas únicas duas bolas que tiveram a direção do gol.
Cicinho: Muita movimentação com pouca eficácia. João Vitor: Pouco acrescentou.
Thiago Heleno: Atuação tranqüila até se machucar. Leandro Amaro: Não comprometeu.
Danilo "Cuspe": Tranqüilo atrás e posicionou-se bem para fazer o gol.
Rivaldo: Só destruiu.
Márcio Araújo: O melhor do time ontem.
Marcos Assunção: Errou muitos passes no primeiro tempo. Depois cansou e só reapareceu na cobrança do escanteio que resultou no gol.
Tinga: Incrível como começa a regredir. Precisa pensar seriamente o que quer da vida. Para começar bem que podia eliminar o ridículo corte de cabelo e usar chuteira para homem. Wellington Paulista: Pouco pegou na bola.
Valdivia: Não conseguiu vencer a marcação individual que lhe foi imposta.
Luan: A mediocridade de sempre.
Kleber: Sozinho na frente foi absorvido pela marcação e ainda desperdiçou mais um pênalti.


O melhor do jogo acabou sendo a torcida que proporcionou a melhor renda do clube neste ano. A tendência é mesmo de casa cheia de agora em diante, afinal o ano futebolístico no Brasil está começando agora.

19 de abril de 2011

Sub-17 arranca bem no estadual

No último sábado o sub-17 recebeu o Santo André e venceu por 3 a 0. São duas vitórias em duas rodadas e a liderança do seu grupo. O campeonato estadual da categoria envolve 76 equipes e é natural que as grandes equipes passem com tranqüilidade pelas primeiras fases. Porém, o oposto tem acontecido com o sub-15 que perdeu para o mesmo adversário acima, 1 a 0, e soma apenas um ponto neste início da primeira fase.

O sub-17 é mesmo o grupo no qual as bases depositam suas maiores esperanças atualmente. Entre as promessas do juvenil destacam-se o meia-atacante Bruno Sabiá, o zagueiro Luiz Gustavo, o meia Bruno Dynal e o atacante Hugo Ragelli. Este grupo é o mesmo que conquistou um disputado torneio no Rio de Janeiro há alguns meses e deve formar a base do time na próxima Copa São Paulo.

18 de abril de 2011

Ponte Preta 2 x 1 Palmeiras


Com um time misto o Palmeiras acabou perdendo ontem para a Ponte Preta por 2 a 1 – gol de Pardalzinho. Sem Valdivia ou Lincoln na armação, e com a saída de Kleber, o Palmeiras torna-se um equipe medíocre e mereceu a derrota.
O resultado em si em nada altera a campanha pelo título paulista. Apenas uma atitude ao final da partida denegriu o clube. Felipão, preferindo enfrentar o Mirassol ao invés da Portuguesa de Desportos, pediu para o time deixar de buscar o empate e aceitar a derrota. Torcedor que paga ingresso ou se posta diante da televisão para assistir o time quer vê-lo sempre buscando a vitória. Balelas como "política de resultado" ou "usar o regulamento" não tem nada que ver com o espírito esportivo. Independentemente do resultado final, vale o trabalho e entrega na busca da vitória. Com sua atitude Felipão diminuiu o Palmeiras, desprezou seus torcedores e mostrou que está cada vez mais boiola.

Deola: Poucas bolas tiveram a direção do gol e duas entraram.
Cicinho: Pouco conseguiu atacar. Luis Felipe: Em nada mudou o panorama.
Mauricio Ramos: Sem ritmo, confundiu-se em algumas jogadas fáceis.
Leandro Amaro: Um pouco menos atrapalhado do que o companheiro de zaga.
Rivaldo: Festival de pixotadas.
Chico: Lento e sem qualidades.
João Vitor: Mostrou toda sua falta de técnica quando se aproximou da área adversária.
Tinga: Decepcionou uma vez mais.
Adriano: Atuação ridícula.
Kleber: Era o único lúcido do time, mas foi poupado no segundo tempo. Vinícius: Mal tocou na bola ao longo de todo o segundo tempo, e quando o fez sempre errou.
Pardalzinho: Ganhou um presente do goleiro adversário, mas nem o gol salvou sua atuação. Luan: Pouco tempo.


Depois da partida Kleber disse que o campeonato começa agora. Não creio nisso. Na verdade o semestre começa depois do time despachar o Santo André pela Copa do Brasil e passar pelo Mirassol. A partir da aí o Palmeiras enfrentará apenas times da primeira divisão do futebol brasileiro na reta final destes esvaziados certames.

15 de abril de 2011

Miguel convocado na sub-18

Depois de não ter apenas um jogador convocado para as seleções nacionais que disputaram o campeonato sul-americano das categorias sub-20 e sub-17 (Gabriel Silva no sub-20). O Palmeiras voltou a ter um convocado para a seleção, desta vez sub-18, que disputara a 11ª Copa Internacional do Mediterrâneo entre 19 a 24 de abril em Barcelona. Trata-se do centroavante Miguel que estava quebrando um galho no elenco principal do Felipão. Por outro lado, a também recém convocada seleção sub-15 não conta com nenhum atleta do Palmeiras.

O time de Felipão

Com a contratação de Wellington Paulista parece que Felipão vai consolidar o esquema 4-3-1-2 que vem adotando quando Valdivia está disponível. Além da tradicional linha de quatro zagueiros, com os laterais com liberdade para subir ao ataque, a defesa é reforçada com o trabalho de três volantes: um mais fixo na cabeça de área, e dois outros jogando um pouco mais a frente. Para a função de um destes dois volantes mais avançados, o técnico tem utilizado o meia Patrik Camilo e algumas vezes até o atacante Luan. Quando atuam nesta função eles se fixam na destruição e pouco criam ofensivamente. Completam o time um meia criativo, com liberdade para chegar ao ataque, e dois atacantes: um mais fixo na área e outro caindo pelas laterais do campo.

O elenco também está praticamente fechado, com a expectativa da chegada de Maikon Leite e, pelo menos, mais um zagueiro. Por outro lado o time finalmente se desfaz de Danilo "Cuspe" e ainda tem incertas as presenças de Luan e Marcos Assunção, cujos contratos se encerram no final de julho. Assim as opções no elenco para a formação acima seriam as seguintes:

Goleiro: Deola é o titular e Bruno Cardoso seu reserva. Fábio precisa ainda provar o seu valor e só seria chamado em uma emergência. Marcos só da despesa.

Lateral Direito: Cicinho é o titular. Luis Felipe aparece com um distante reserva, já que o técnico prefere deslocar Márcio Araújo para a lateral quando o titular está ausente.

Zagueiro: As opções são Thiago Heleno, Mauricio Ramos e Leandro Amaro. Thiago Heleno deve formar a zaga titular com um novo contratado.

Lateral Esquerdo: Incrivelmente Felipão dá preferência ao Rivaldo. Gabriel Silva é o reserva e ainda segue apenas como um jogador promissor.

Volante (cabeça de área): Márcio Araújo ganhou a posição, que ainda contra com a Volta de Pierre que também pode cumprir bem a função.

Segundo Volante: Marcos Assunção aparece como titular, tendo na sua reserva João Vitor e Chico.

Terceiro Volante: Patrik Camilo e Tinga seguem como os preferidos para esta função. Luan também pode exercê-la.

Meia: Valdivia é o titular e Lincoln seu reserva. Seria interessante ter o dois jogando juntos. Mas além desta formação não fazer parte dos planos, já ficou evidente que Lincoln não tem físico para uma longa seqüência de jogos.

Atacante: Kleber é o dono da posição. Maikon Leite deverá ser o reserva imediato. Depois seguem o próprio Luan, caso o técnico queira fechar ainda mais o time, Adriano, Pardalzinho e Vinícius. Claramente sobram jogadores para a função.

Centroavante: Wellington Paulista veio para ser titular. A inacreditável renovação de contrato com Dinei indica que seria uma opção para a função. Mas fica claro que na ausência de Wellington Paulista a primeira opção seria o deslocamento de Kleber para a área e a entrada de Maikon Leite. Miguel sobra na posição.

Tudo indica que Vinicius e, principalmente, Miguel devem voltar para o sub-20. E Pardalzinho só não vai para a caçamba se Luan não renovar seu contrato de empréstimo. E Felipão teria seus 23 jogadores de linha, conforme ele já expressou ser o seu desejo.

Santo André 1 x 2 Palmeiras


O Palmeiras não deu quase nenhuma chance ao Santo André na última quarta-feira. Não fosse o insistente problema com a bola aérea defensiva e time teria aberto uma vantagem ainda maior. Ao final o resultado de 2 a 1 – gols de Kleber – foi pequeno tamanha a superioridade do Palmeiras. Mas somente um desastre tira a classificação do time para a próxima fase da Copa do Brasil. E acredito que Felipão possa ainda poupar um ou outro atleta no segundo jogo contra o Santo André, que ocorre logo antes da disputa das semifinais do Paulistão.

Deola: Boas defesas e sem culpa no gol.
Cicinho: Seria bem melhor se complementasse seu dinamismo e velocidade com bons cruzamentos.
Thiago Heleno: Sem problemas, não fosse a bola aérea.
Danilo "Cuspe": Igual ao companheiro de zaga.
Rivaldo: Limitou-se a defender.
Márcio Araújo: Bom trabalho no combate a frente da zaga.
Marcos Assunção: Desta vez foi mal, errando muitos passes. Chico: Sem tempo.
Tinga: Melhorou um pouco com relação ao jogo anterior, apresentando alguns poucos lances ofensivos.
Valdivia: Disparado o melhor do time. A equipe despencou depois de sua saída. Wellington Paulista: Discreto.
Kleber: Apesar de jogar abaixo do seu potencial fez os dois gols do time. João Vitor: sem tempo.
Luan: A "bolinha" de sempre.


Tudo indica que o próximo adversário na Copa do Brasil, já pelas quartas-de-final, será o Coritiba: equipe da primeira divisão do futebol brasileiro e que vive um bom momento. Deveremos ter jogos de melhor qualidade e mais emocionantes.

11 de abril de 2011

Sub-17 e sub-15 em ação

No último fim-de-semana começaram os campeonatos estadual sub-17 e sub-15. O Palmeiras estreiou fora de casa contra o Pão de Açúcar, vencendo por 2 a 0 no sub-17 e empatando em 3 a3 no sub-15.

Atualmente o sub-17 conta com 60 atletas inscritos no BID da CBF. Já o sub-15 tem 64 jogadores sob contrato. Sem conta os 29 atletas ainda sob contrato no extinto sub-13, já chamado de "caçambinha". É muito apadrinhado de conselheiro, não é mesmo?

10 de abril de 2011

Palmeiras 2 x 0 Grêmio Prudente


O Palmeiras passou tranquilamente pelo lanterna do campeonato ontem à noite, 2 a 0 com um gol contra e outro de Thiago Heleno. A defesa não permitiu nenhuma chance de gol ao Grêmio Prudente e o ataque, mesmo sem muita inspiração, chegou aos seus dois gols até com certa facilidade. Felipão já deu sua cara ao time: bem postado defensivamente e priorizando o contra-ataque na busca da meta adversária. Méritos para o caríssimo técnico que com apenas 3 ou 4 jogadores de qualidade consegue fazer o time jogar. A diferença com o ano passado, já que o elenco é praticamente o mesmo, está no fato dos jogadores estarem sendo menos caloteados agora. Mas não se enganem, os atuais dirigentes são uns bostas, tanto quanto os anteriores, mas pelo menos esta estupidez eles não estão fazendo.

Deola: Não teve trabalho.
Márcio Araújo: Limitou-se a defender.
Thiago Heleno: Sem problemas na defesa e ainda fez o primeiro gol.
Danilo "Cuspe": Partida sem sobressaltos.
Gabriel Silva: Defendeu bem mas não foi tão efetivo na frente. Mas mesmo assim produziu bem amis do que Rivaldo.
João Vitor: Cumpriu seu papel defensivo.
Marcos Assunção: Distribuiu bem a saída de bola. Chico: manteve o mesmo nível do titular.
Tinga: Decepcionou atuando no mesmo nível de Patrik Camilo.
Lincoln: Alguns bons toques, algumas chances desperdiçadas e só. Valdivia: Entrou para ganhar ritmo e pouco produziu.
Luan: Fraco tecnicamente. Pardalzinho: Sem tempo. Ufa!
Adriano: Definitivamente não atendeu as expectativas criadas com suas atuações pelo Bahia no ano passado. Com a chegada de Wellington Paulista e Maykon Leite os dirigentes deveriam tentar antecipar sua devolução para o Fluminense e economizar na folha de pagamento.


A vitória de ontem foi a 14ª partida invicta desde a derrota contra o Corinthians e o time está pronto para as finais. Antes o time terá os teoricamente fáceis compromissos contra o Santo André pela Copa do Brasil e o jogo com a Ponte Preta para encerrar esta fase do estadual. Partidas ideais para arrumar o time e poupar quem precisar ser poupado.

8 de abril de 2011

“Brasil é um celeiro de craques”

Muitas vezes escutamos dizerem que "o Brasil é um celeiro de craques". Será isso mesmo? Sem dúvida há uma grande quantidade de bons jogadores brasileiros espalhados pela Europa, muito mais do que atuando por aqui. Mas esta quantidade não resulta de uma habilidade nata dos nativos, muito menos da forma como este esporte está aqui organizado. O Brasil revela uma boa quantidade de bons jogadores por razões bem diferentes. A primeira refere-se ao tamanho da nossa população, o Brasil é disparado o país mais populoso entre aqueles que dão relevância ao futebol. Vejamos a população dos nove países mais destacados na história da Copa do Mundo:

Brasil: 203 milhões
Alemanha: 81 milhōes
França: 65 milhōes
Itália: 61 milhōes
Inglaterra: 52 milhoes

Espanha: 47 milhōes
Argentina: 42 milhōes
Holanda: 17 milhōes
Uruguai: 3 milhōes

É natural que surjam no Brasil um maior número de bons jogadores somente em função da nossa maior população. Outros países com populações superiores a do Brasil nem de longe dão a relevância que o brasileiro dá ao futebol. Este é o caso da China, Índia, EUA e Indonésia.

Esta questão da relevância do futebol também favorece o Brasil contra os países onde o futebol tem maior tradição. Com exceção dos também subdesenvolvidos Uruguai e Argentina, todos os outros seis países da lista acima se destacam também em muitos outros esportes. Basta ver o número de medalhas que cada um conquista nas Olimpíadas. Até a minúscula Holanda conquistou mais que o dobro de medalhas de ouro que o Brasil em Beijing. 

Ainda há mais um infeliz fator a favorecer o futebol brasileiro. Nosso GDP per capita é o menor daquela lista. Ou seja, diante da incapacidade de gerar riqueza e do falido sistema educacional, um enorme contingente de brasileiros tem na prática do futebol uma de suas únicas chances de alcançar maior conforto material. O que traz um incentivo adicional ao surgimento de mais futebolistas aqui do que em outras partes.

Por isso meu sentimento quando ouço que "o Brasil é um celeiro de craques" é de frustração e vergonha. Frustração por que este número deveria ser muito maior e de muito mais qualidade diante dos fatores acima. E de vergonha por ver que mesmo com todo este favorecimento o futebol ainda se arrasta profissionalmente no Brasil, mergulhado na imundice da corrupção, nos nossos ralos valores morais e quebradiço espírito.

Copa do Brasil cada vez mais fácil

A última rodada da Copa do Brasil foi muito favorável para o Palmeiras. Pegar o Santo André ao invés do Sampaio Correia foi uma benção. Não que o time do ABC seja pior do que o maranhense, os dois nivelam-se por baixo, bem por baixo, mas evita uma desgastante viagem na reta final do campeonato estadual.
Outra boa notícia foi a desclassificação do Atlético-MG. Dos doze times tradicionais do país, seis nem entraram na Copa do Brasil por disputar a Libertadores, e agora, com a queda do Galo mineiro, só sobraram Flamengo, São Paulo, Botafogo e Vasco da Gama na competição para fazer frente ao Palmeiras.

4 de abril de 2011

Avanti – Programa de Enriquecimento dos Comparsas

Que o Avanti era um natimorto já sabíamos (ver http://quixoteverde.blogspot.com/2009/11/avanti-palmeiras-comeca-mal.html), a novidade corre por conta da confirmação dos esquemas sórdidos que eram alimentados pelas migalhas do programa. Conforme divulgado na reunião do Conselho de Orientação Fiscal do clube, o Avanti foi agora suspenso com pouco mais de 5.700 gatos pingados afiliados. Ninguém sabe ao certo a receita gerada, mas estima-se que seriam algo como R$1,3 milhões por ano.

Porém pouco disso chega aos cofres do clube. Para começar 20% daquele valor vai para uma obscura empresa de marketing que ainda tem direito contratual de mais R$216 mil/ano. Ou seja, apenas para a tal empresa de marketing já escoam R$476 mil. Outra boa parte vai por conta dos descontos nos ingressos. Somando o desconto de estudante mais os benefícios do sócio estima-se que se abriu mão de R$550 mil de receita por ano. Outros R$138 mil vão para uma desconhecida empresa de comunicações. Apenas para cuidar do correio eletrônico uma terceira empresa de fundo de quintal leva outros R$144 mil/ano. Assim, a conta já esta em negativo de R$8 mil/ano e ainda nem foram deduzidos os impostos, remunerado o cartão de crédito, coberto o custo de kits, de emissão de carteirinha, do correio e outras despesas. O buraco não deve ser pequeno. Ou seja, o Avanti perdeu dinheiro mas enriqueceu os comparsas. Tudo no Palmeiras é assim. Tudo feito pelos sócios-merdas só visa seu enriquecimento ilícito à custa dos torcedores.

Escrevendo esta postagem lembro-me de torcedores que fazendo campanha em blogs e fóruns pelo Avanti diziam barbaridades como "palmeirense de verdade tem que ficar sócio". Costumava ter pena destes indivíduos. Mas pensando bem a ignorância gratuita não deve suscitar compaixão, mas sim asco.

Wellington Paulista pode ser o centroavante

Os boatos sobre a contratação do centroavante Wellington Paulista são fortes. Trata-se de um jogador mediano. Ele completa 28 anos este mês e alcançou algum destaque apenas em 2009 quando chegou ao Cruzeiro e fez dupla ofensiva com Kleber. Naquele ano Wellington Paulista fez 24 gols. Já em 2010 seu desempenho caiu e ele foi as redes apenas 8 vezes. Este ano, já na reserva, fez apenas 2 gols. Antes do Cruzeiro ele passou discretamente pelo Juventus-SP, Paraná, Santos, Alavés-ESP e Botafogo-RJ.

Seguramente não é nenhum craque, mas bem melhor do que as opções Dinei e Miguel hoje no elenco. Caso ele seja mesmo contratado o ataque teria as seguintes opções:

Segundo Atacante: Kleber, Adriano, Luan, Pardalzinho e Vinícius
Centroavante: Wellington Paulista, Dinei e Miguel


Kleber e Wellington Paulista seriam os titulares. Dinei o reserva de Wellington Paulista e Adriano (destro) e Luan (canhoto) os reservas de Kleber. Miguel e Vinícius podem voltar para as bases. E Pardalzinho assumir seu devido lugar na caçamba.

Santos 0 x 1 Palmeiras


Mesmo com sérios problemas na criação de jogadas o Palmeiras conquistou excelente vitória ontem na Vila Belmiro. O resultado de 1 x 0, com gol de Kleber, foi construído com uma razoável atuação defensiva, muita dedicação e umas poucas jogadas ofensivas bem construídas. 

Deola: Foi preciso quando requisitado, muito boa atuação.
Cicinho: Boa atuação na marcação do Neymar. Chico: Pouco tempo.
Thiago Heleno: Fez com Danilo um bom trabalho defensivo, prejudicado apenas pelas insistentes falhas no jogo aéreo.
Danilo "Cuspe": Ver comentário acima.
Rivaldo: O Santos concentrou seu jogo no lado oposto e, por isso, podia ter apoiado mais o ataque. Mas falta-lhe capacidade técnica para tal.
Márcio Araújo: Bem no primeiro combate.
Marcos Assunção: Desta vez levou perigo na bola parada e tambėm foi bem na marcação.
Lincoln: Nāo foi bem. Precisa buscar mais o jogo. João Vitor: Entrou para melhorar o combate no meio de campo, e assim o fez.
Patrik Camilo: Desta vez conseguiu executar duas jogadas de meia, e numa delas fez a assistência do gol de Kleber.
Adriano: Péssimo. Não acertou nenhum lance. Luan: Felipão o colocou para melhorar o combate no meio de campo, e ele só fez isso mesmo.
Kleber: Também abaixo do seu potencial, mas bastou brilhar uma única vez.

Com esta vitória o time demonstra ser um dos favoritos ao título, não somente do estadual, mas também da Copa do Brasil. Por isso mesmo os jogadores devem acabar com esta besteira de reclamar maior atenção por parte da mídia esportiva, alegando serem vistos pela mesma como uma equipe inferior as demais. Se as outras equipes têm maior cobertura é por que disputam (ou disputavam) a Libertadores, tem maior torcida ou histórico muito melhor nos últimos dez anos (neste período, no estado de São Paulo, o Palmeiras rivaliza em títulos apenas com São Caetano, Ituano – um título paulista cada -, Paulista de Jundiaí e Santo André – uma Copa do Brasil cada). Eles também precisam lembrar que são disparado o grupo, elenco e comissão técnica, mais bem pagos do país. Ao reclamarem atenção da mídia os jogadores apenas imitam o patológico complexo de inferioridade que assola grande parte da maioria da torcida palmeirense.

2 de abril de 2011

Boiola ou estúpido?

É difícil de entender a fascinação que Dinei exerce sobre Felipão e os dirigentes palestrinos. O ridículo jogador que vai completar 28 anos estava encostado no Atlético-PR quando o Palmeiras o trouxe para preencher o elenco no segundo semestre do ano passado. O atacante participou de 12 partidas (4 como titular, 3 começando a jogar e depois sendo substituído e 5 entrando no decorrer da partida) e conseguiu apenas irritar os torcedores com sua absoluta falta de qualidade técnica e vigor físico. Terminado todos pensavam que ele retornaria para o seu encosto no Atlético-PR.

Mas surpreendentemente o Palmeiras renovou o seu contrato de empréstimo por mais seis meses no começo deste ano. No início desta temporada Dinei participou de 7 jogos (2 como titular, 4 começando a jogar e depois sendo substituído e 1 entrando no decorrer da partida), atuando pessimamente em todos eles, até se machucar e ficar em convalescência o resto do primeiro semestre. Esta contusão foi um alívio e pensei que estava livre de vê-lo com o uniforme do Palmeiras, uma vez que seu contrato terminaria agora em julho.

Mas eis que, mesmo com o jogador ainda se recuperando fisicamente, Felipão e os dirigentes estendem seu contrato de empréstimo até o final do ano! Como isso é possível?! Não seria natural se livrarem dele para também gerar recursos a serem investidos em um centroavante de qualidade? Não na privada na qual se transformou o clube. Por que Dinei tem esta prerrogativa de jogar mal e perpetuar-se no clube?

Como todos sabem, Dinei é um jogador administrado pela Traffic. Creio que Felipão está pagando pela indicação de Rivaldo, pelo qual a Traffic pagou um bom dinheiro e não terá nenhum retorno. E agora o técnico fica de quatro para a Traffic em casos como o do Dinei. Felipão virou boiola? Pode ser. Mas também pode ser apenas estupidez crônica.

28 de março de 2011

Time B encerra participação na A2 sem revelar ninguém

Jogando em casa, o Palmeiras B conseguiu empatar com os reservas do XV de Piracicaba pela última rodada da primeira fase da Séria A2 paulista. O resultado de 0 a 0 foi o suficiente para livrar o time do rebaixamento, já que seus adversários na luta contra o descenso não conseguiram ganhar seus jogos. O time jogou esta última partida com: Rafael Alemão; Romeu (Elizeu), Wellington, Gualberto e Andrade; Nando, Everton, Anselmo e Nadson; Gilsinho (Túlio) e Joãozinho (Jean).

Desclassificado, o time agora fica encostado até meados de julho quando começa a Copa Paulista de Futebol, mas mesmo para isso vai depender da desistência de outros clubes. É que a equipe terminou na 15ª colocação e apenas os 11 primeiros colocados tem classificação automática para aquela competição. Isso é muito bom! O time B encostado é mais rentável! No sábado o Palmeiras B completou seu 9º jogo "em casa", e em todas estas partidas obteve receita líquida foi negativa, totalizando quase R$100 mil de prejuízo para entra em campo nesta edição da A2. Isso sem contar a manutenção de 24 jogadores já sem idade para atuar no sub-20, comissão técnica com direito até a auxiliar técnico, viagens, hospedagens, refeições...

Isso poderia até ser visto como investimento se de lá saíssem bons valores para o elenco principal. Mas este nunca foi o caso, especialmente com o grupo que tem jogado este ano. Quem são eles?

Goleiro: Rafael Alemão atuou todas as partidas e foi o capitão da equipe. Não tem mostrado evolução e falhou em várias oportunidades. Borges e Pergorari revezaram-se na reserva.

Lateral Direito: O contratado Romeu começou como titular e depois perdeu a posição para David. Nenhum presta. Rafael Nunes apenas foi banco.

Zagueiros: Os contratos Nando e Rafael são risíveis. Murilo Gomes apenas sentou no banco uma vez. Sobrou para Gualberto, Mayko e Wellington. Estes ainda são jovens e poderiam até evoluir. Mas já passaram pelas mãos de Felipão e não ficaram no time principal.

Lateral Esquerdo: Túlio e Andrade atuaram sem dar esperanças de algum futuro.

Volante: Didi não mostrou evolução. O contratado André Lamas é especialista em fazer gols contra. Everton é uma piada. Bruno Turco não agradou. E o contratado Eliseu fez uma partida e foi para a reserva. Não contem com nenhum deles.

Meia: Nadson foi o artilheiro do time (7 gols) mas o franzinho jogador já vai completar 22 anos e não vai dar em nada. Gilsinho segue mostrando as deficiências de sempre. O contratado Leandro começou jogando uma partida e depois foi encostado. Ramos nada apresentou. Francinei foi banco uma vez e só. Anselmo, ex-volante, agora tenta a sorte como meia, sem sucesso. E Jean foi rebaixado do elenco principal para a reserva do time B. Quase nenhuma esperança aqui.

Atacante: A posição mais carente. O que demonstra perfeita sintonia com o time principal, não é mesmo? Joãozinho já fracassou no time principal. Luis, o Molusco, não vale a pena nem comentar. Os contratados Elivelto e Marcelo Fernandes foram logo para a reserva. Amoroso é ridículo. Anderson se machucou logo nos primeiros jogos e ficou de fora do resto da competição. E o pior de todos: Tindurim... nenhum gol... reserva deste time ridículo... e quatro anos de contrato.

Não dá para esperar nada destes jogadores. Mas o time B não existe para revelar valores e sim para negociatas de média escala entre dirigentes e empresários. As grandes negociatas estão no time principal e são controladas por outra facção. Já as bases ficam com as, digamos assim, "negociatazinhas" e favores políticos e são tocadas por uma terceira facção. Haja bandido neste clube!

27 de março de 2011

Palmeiras 3 x 0 Bragantino


O Palmeiras segue tranqüilo à uma boa classificação para as finais do estadual. Ontem nem precisou jogar bem para bater o Bragantino por 3 a 0 – dois gols do Thiago Heleno e um do João Vitor. Lincoln e Kleber estavam pouco inspirados e foram bem marcados, e o time somente chegou ao gol através das bolas paradas. Enquanto isso o Bragantino também pouco agredia, parando sempre na bem postada defesa palmeirense que só pecava nas bolas aéreas, na maioria vencida pelos adversários que, por sorte, estavam sem pontaria. Perdendo por 2 a 0 o Bragantino se abriu e até jogadores como Luan, Patrik Camilo e João Vitor conseguiram trocar passes para fechar o placar.

Deola: Atento quando chamado a intervir.
Cicinho: Não conseguiu chegar à linha de fundo. João Vitor: Achou seu gol.
Leandro Amaro: Rebatedor. Pecou no jogo aéreo.
Thiago Heleno: Depois de Luan e Patrik Camilo foi a vez dele de ser "herói por um dia".
Rivaldo: Jogou mais recuado e sempre errou quando tentou sair para o jogo.
Márcio Araújo: Fez com Chico uma boa proteção frente aos zagueiros.
Chico: Acompanhou o trabalho de Márcio Araújo.
Lincoln: Desta vez apenas um ou outro bom toque de bola.
Patrik Camilo: Sumido em campo, vivia de toques laterais e combate no meio de campo. A rigor teve apenas a participação no último gol de produtivo.
Adriano: Depois dos "heróicos" seis gols em três jogos despencou de proteção. Segue desapontando e ainda bem que o time corretamente o trouxe apenas por empréstimo. Luan: Forçou mais o ataque.
Kleber: Pouco conseguiu de produtivo no ataque. Mauricio Ramos: Voltou ao time depois que não apareceu nenhum louco para comprá-lo, mas jogou pouco tempo.


O clássico contra o Santos no próximo domingo será um bom teste para o Palmeiras. A campanha até agora tem apresentado resultados excelentes: 19 jogos, 13 vitórias, 5 empates e 1 derrota. Porém nos únicos dois jogos contra times da Série A o Palmeiras perdeu do Corinthians e empatou com o São Paulo. Uma vitória contra o Santos dará ainda mais confiança ao time.

26 de março de 2011

Enquanto a Arena não vem...

Com o Palestra Itália já em ruínas, as discussões sobre a Arena seguem violentamente. A facção criminosa ora no poder não se conforma que apenas a gangue anterior tenha enchido os bolsos com o projeto e tenta de todas as formas reverter a situação. Mas Belluzzóquio e seus comparsas foram não deixaram muito dinheiro sobre a mesa para os outros também se locupletarem. Nesta briga de hienas o único que pode perder são seus torcedores, obrigados a assistir aos jogos do time, ironia do destino, no estádio da gloriosa Portuguesa de Desportos até que o Palmeiras feche as portas.

Enquanto isso o dono da WTorres tenta acalmar os torcedores garantindo o término das obras e afirmando que o Palmeiras se beneficiará financeiramente. Quanto ao término das obras só podemos esperar e torcer, caso a Arena não se materialize será o fim precoce do Palmeiras. E até acredito no prometido benefício financeiro comparado com o que o clube antes realizava com o Palestra Itália. As razões são claras: (1) um estádio mais atraente e maior deve trazer uma maior audiência, (2) o clube não terá custo de manutenção do estádio, e (3) o Palmeiras receberá uma parcela das receitas outras além do futebol que a Arena gerar (por exemplo: direitos do nome, publicidade, restaurantes e lanchonetes).

Mas este ganho financeiro pode não ser significativo. É falsa a informação do dono da WTorres de que 100% da renda dos jogos de futebol será do Palmeiras. Ele mesmo já disse que a receita das cadeiras cativas e os camarotes (locais mais nobres e rentáveis) serão da WTorres. Também sabemos que o percentual sobre as receitas outras é pequeno. Pra dar uma idéia, a imprensa tem noticiado que os direitos do nome da Arena, a principal destas receitas, podem gerar R$70 milhões nos primeiros sete anos, mas apenas R$4.5 milhões cairiam nos cofres do clube. Isso é menos de R$54 mil por mês, ou seja, não paga nem a comissão técnica do time B...

Além do mais, receita extra no Palmeiras significa apenas dirigentes mais ricos e clube mais endividado. Isso Sacomandi, Mustafá e Belluzzóquio já demonstraram cabalmente.

24 de março de 2011

Rivaldo? O que acontece com o Gabriel Silva?

A entrada de Rivaldo no lugar de Gabriel Silva no jogo de ontem assusta. Será que a única possível revelação destes últimos cinco anos não vai vingar? Será que o clube vai conseguir completar cinco anos sem revelar nenhum jogador e nem conseguir um único centavo com jogadores saídos das bases? Deve ser um recorde inusitado. 

Mas não pensem que das bases não saíram bons jogadores neste período. Só que eles renderam milhões é para os adversários. Este é o caso de Ilsinho no São Paulo, Elias no Corinthians e Zé Eduardo no Santos. Parece piada, mas é a dura realidade.

Palmeiras 3 x 0 Linense


Desta vez o Palmeiras não teve problemas para bater mais um fraco adversário do campeonato estadual. Bastou forçar um pouco e já construiu o resultado no primeiro tempo. No final 3 a 0 sobre o Linense, com dois gols de Patrik Camilo e um de Kleber.
A novidade foi a correta escalação de Lincoln, mesmo sem ritmo ele deu o suficiente toque de criatividade e qualidade ao time. Por que só agora Felipão resolveu aproveitá-lo? Tem algo de estranho nisso tudo. Será que Valdivia está de saída para pagar sua conta que cai em agosto?

Deola: Sem o brilho do último fim de semana.
Cicinho: Atuação regular, com muitos cruzamentos errados.
Leandro Amaro: Seguro e sóbrio.
Danilo: Sem problemas diante do fraco ataque adversário.
Rivaldo: O que aconteceu com Gabriel Silva? Medo, muito medo...
Márcio Araújo: Trabalho fácil a frente da zaga.
Marcos Assunção: Desta vez mostrou um pouco mais de mobilidade no meio-de-campo. Chico: Sem tempo.
Lincoln: Boa atuação, mas perdeu um gol de forma incrível. Tinga: Sem tempo.
Patrik Camilo: Um jogador ridículo que acha seus golzinhos. Isso pode ser bom e ruim. Bom se com isso o Palmeiras conseguir empurrá-lo para outro clube. Ruim por que isso prolonga sua presença em campo até a sonhada venda.
Adriano: Apenas regular, precisa chegar mais ao gol.
Kleber: Sem a mesma qualidade das outras partidas. Miguel: Sem tempo.

Felipão estava uma pilha de nervos. Será que é por ver todos os clubes contratando centroavantes que ele entendia serem interessantes para o time? O Corinthians parece estar acertando com Adriano, o Vasco contratou Alecsandro, o Cruzeiro trouxe Brandão, o Atlético-MG conseguiu Guilherme, o Fluminense pegou o Rafael Moura, o São Paulo contratou William José da seleção sub-20, o Internacional-RS buscou Cavenaghi... e o Palmeiras "promoveu" o Migué

23 de março de 2011

Red Bull 1 x 0 Palmeiras B

O Palmeiras B perdeu nesta tarde do Red Bull por 1 a 0. A partida foi disputada em Campinas. O time perdeu uma vez mais com: Rafael Alemão; David, Wellington (Tindurim), Gualberto e Andrade; Didi, Elizeu, Bruno Turco (Jean) e Anselmo (Amoroso); Nadson e Joãozinho. O time aguarda os resultados do União Barbarense e São Bento para avalir qual resultado precisara na última rodada visando escapar do rebaixamento.
Como podemos ver Elizeu estreiou! E vamos rasgar dinheiro!

22 de março de 2011

Cadê a lógica?

Não entendo por que todo este barulho pelo Palmeiras negociar com a Globo um valor inferior ao do Corinthians pelo direito de transmissão dos jogos da Série A. Oras, a torcida do Palmeiras é substancialmente inferior a do Corinthians como comprovam todas as pesquisas, a audiência dos jogos transmitidos, os assinantes de PPV, o público nas arquibancadas e a observação pessoal de cada um. Além disso, a torcida palmeirense definha de forma galopante e assim seguirá quando vemos o percentual de torcedores palestrinos junto ao público mais jovem. Assim sendo, por que uma empresa pagaria o mesmo para ambos os públicos?

O Corinthians já tem contratos de patrocínio e material esportivo bem superiores ao do Palmeiras. A TV apenas segue este padrão lógico. Ao invés de gritinhos esgoelados de "aqui é Palmeiras" os torcedores deveria gritar contra os dirigentes dos últimos 35 anos que vêm paulatinamente destruindo o Palmeiras.

Sem saco...

Não postei nada do jogo contra o São Caetano por pura falta de vontade. O marasmo é total. São os dirigentes safados de sempre, o futebolzinho medíocre, os erros defensivos, a falta de criatividade, Luan, Pardalzinho, Patrik Camilo... é muita desgraça! No dia seguinte o site do clube festejando o goleiro por evitar uma derrota contra o "poderoso" São Caetano. O Palmeiras virou time pequeno?

20 de março de 2011

Time B vai escapando do rebaixamento

O Palmeiras B venceu o São Bento por 2 a 0 - gols de Gilsinho e Joãozinho - e finalmente saiu da zona de rebaixamento. Agora o time tem mais dois jogos para manter os dois pontos de distância que o separa dos outros dois candidatos a última vaga no descendo: São Bento e União Barbarense. Ontem o Timão jogou com: Rafael Alemão; David (Romeu), Mayko, Gualberto e Andrade; Didi, Bruno Turco (Everton), Anselmo e Nadson; Gilsinho e Joãozinho (Tindurim).

Interessante observar que o time só saiu da zona de rebaixamento depois de colocar na reserva todos os contratados para o time B neste ano: Romeu, Nando, Rafael, André Lamas, Leandro, Erivelto, Tindurim e Marcelo Fernandes (Elizeu nem estreiou ainda). E o ridículo Tindurim tem contrato de quatro anos!

18 de março de 2011

Gustavo Bastos?

Os dirigentes palestrinos não têm mesmo vergonha na cara. Sugerir a contratação de Gustavo Bastos do Mirassol?! Este zagueiro vai completar 28 anos em julho e até hoje jogou em clubes como Brasil-RS, Iguaçu-PR, União Mogi-SP, Flamengo-SP, Americana-SP e Mirassol-SP. O que um jogador com este currículo pode fazer no Palmeiras?

Mas parece que Felipão bloqueou a besteira. Pena que não agiu assim também para Pardalzinho, João Vitor, Rivaldo, Luan, Bruno Matos, Julio César, Leandro Amaro...

17 de março de 2011

Uberaba 0 x 4 Palmeiras


Apesar das más condições do gramado o Palmeiras fez boa partida em Uberaba, batendo a equipe local por 4 a 0 – gols de Luan (2) e Kleber (2) – e, assim, eliminando a necessidade do segundo jogo. Felipão acertou em escalar o time conforme as condições do campo, e comandou o jogo o tempo todo. Assim como já tinha feito Adriano contra o Comercial-PI, desta vez coube a Luan aproveitar a fragilidade do adversário para viver seu momento de glória. Com Valdivia e Kleber atuando bem e a defesa segura, a goleada poderia ter sido ainda mais ampla.

Deola: Seguro nas poucas vezes que foi demandado.
Márcio Araújo: Poderia ter apoiado mais dada a fragilidade do adversário. Fez isso apenas quando reposicionado no meio-de-campo e acabou fazendo boa assistência para o último gol.
Thiago Heleno: Parou a maioria das poucas iniciativas ofensivas do adversário.
Danilo "Cuspe": Assessorou o trabalho do companheiro de zaga.
Rivaldo: Fico atrás, só defendendo, e não se complicou.
Chico: Ainda não mostrou a que veio. Mesmo diante de adversário tão fraco não mostrou lançamentos, bons passes ou criatividade.
Marcos Assunção: Outra má partida. João Vitor: Rebatedor.
Patrik Camilo: Disparado o pior do time. Pouco participou do jogo e só apareceu ao desperdiçar uma chance clara de gol. Cicinho: Pouco apareceu.
Valdivia: Boa atuação, mas poderia ter jogado mais próximo da área. Vinicius: Sem tempo.
Kleber: Outro bom desempenho apesar dos gols perdidos.
Luan: Soube aproveitar a debilidade do adversário para aparecer bem.


O próximo adversário sai do confronto entre Sampaio Corrêa e Santo André. Nenhum dos dois deve apresentar problema para o Palmeiras avançar para a fase seguinte.

14 de março de 2011

Palmeiras B 1 x 0 União Barbarense

Vitória importante essa por 1 a 0 – gol de Gualberto – contra o União Barbarense, em casa, no último domingo. Tivesse feito mais um gol e o time B teria saído da zona de rebaixamento, deixando seu lugar para o próprio União Barbarense. Agora o time tem que vencer o São Bento em Sorocaba para sair da atual incomoda posição. Ontem o time atuou com: Rafael Alemão; David, Mayko (Wellington), Gualberto e Andrade; Didi, Bruno Turco, Anselmo e Gilsinho (Jean); Nadson e Amoroso (Tindurim).

O jogo de ontem foi presenciado por 48 testemunhas que deixaram nas contas finais da bilheteria um prejuízo de R$11,8 mil. Quanto custa a diária da nutricionista?

13 de março de 2011

Palmeiras 2 x 0 São Bernardo


Felipão surpreendeu mandando um time mais agressivo ao campo: dois atacantes e dois meias ofensivos. Com Valdivia regendo o meio-de-campo e contanto com bastante apoio dos laterais, o time chegou com pouco esforço ao resultado de 2 a 0 – gols de Danilo "Cuspe" e Patrik Camilo – em apenas meia hora de jogo. Mas depois Valdivia sentiu dores e o time caiu de produção. No segundo tempo, já sem o chileno em campo, o time foi dominado pelo adversário e Felipão acovardou-se, terminado o jogo com cinco volantes a frente da zaga.

Deola: Boa participação, tendo influência no resultado do jogo. É visível sua melhora desde a volta de Carlos Pracidelli.
Cicinho: Excelente partida, principalmente no setor defensivo.
Thiago Heleno: A escalação mais ofensiva evidenciou sua fragilidade.
Danilo "Cuspe": Mostrou dificuldades em conter o fraco ataque adversário, mas teve mérito pelo gol de cabeça.
Gabriel Silva: Atuação apenas razoável tanto no ataque como na defesa. Pareceu um tanto afobado.
Márcio Araújo: Muita correria e pouca técnica.
Marcos Assunção: Uma boa cobrança de falta e só.
Patrik Camilo: Totalmente perdido em campo, quase desperdiçou o presente de Vinícius.
Valdivia: Vinha bem até sentir a coxa. Tinga: A torcida já perdeu a paciência com ele. Felipão precisa resgatar este jogador, a começar por posicioná-lo melhor taticamente.
Vinícius: Boa participação na primeira meia hora de jogo incluindo excelente assistência para o segundo gol. Depois sumiu no jogo. João Vitor: Entrou para congestionar a entrada da área, e só fez isso mesmo.
Adriano: Foi muito mal novamente. Parece que gastou sua cota mensal no jogo contra o Comercial-PI. Chico: Sem tempo.


A renda bruta propiciada com a mudança do mando do jogo para o Canindé em nada diferiu do último jogo no Pacaembu. A expectativa é de que a renda líquida seja bem melhor como resultado do menor custo de aluguel. Mas não será desta vez visto que 30% da renda bruta deste jogo foi destinada ao XV de Piracicaba como pagamento dos misteriosos Bruno Matos e Julio César: aqueles que Felipão avaliou por 45 dias e que deu-lhes contratos de cinco anos. Onde eles estão hoje? Foram emprestados ao Oeste como troco na vinda de Cicinho, porém ainda não jogaram uma partida sequer (apenas Julio César entrou em poucos minutos de um jogo) pelo time do interior. E o mistério continua...

Interpelado pelos jornalistas por fazer as substituições ontem optando sempre por colocar volantes em campo, Felipão saiu-se com essa: "Se acharem atacantes para colocar no jogo, dou um prêmio a vocês... Só tinha Luan e Pardalzinho." Ou seja, Felipão já percebeu que os dois não são merda nenhuma.

12 de março de 2011

Curtas

Acertada decisão de cancelar os absurdos amistosos marcados na Espanha. O desgaste que tal viagem, bem como as complicações no agendamento das partidas tanto no estadual como na Copa do Brasil, poderiam complicar o desempenho do time em ambas as disputas.

§§§§§

Curioso como as três prima-donas do Palmeiras, Felipão Kleber e Valdivia, publicamente trocam farpas entre si. Do alto de seus vencimentos incompatíveis com a situação financeira do Palmeiras eles demonstram mais preocupação com seus inchados egos do que com o clube que os paga tão regiamente.

§§§§§

O goleiro Marcos segue fora do time. Para preservá-lo Felipão evita utilizá-lo em jogos noturnos dado que Marcos já não enxerga bem, também evita jogos em dia de chuva pois ele pode escorregar e se contundir, e jogos com sol podem causar-lhe insolação. Assim Marcos mantém o recorde que sustenta desde 2004: o de aposentando mais bem pago do mundo. E depois cortam a diária da nutricionista...

§§§§§

Felipão deu indicações que vai utilizar um esquema tático "com três zagueiros." Mas no caso do Palmeiras o mais certo seria ele dizer "com os três zagueiros", visto que Danilo "Cuspe", Thiago Heleno e Leandro Amaro são os únicos com os quais ele conta no elenco.

§§§§§

Apesar de toda a confusão na renovação dos direitos de transmissão da Série A, fato é que os clubes caminham para um bom reforço no caixa. A oferta única da RedeTV! para TV aberta, mais as futuras ofertas de TV fechada, pay-per-view e outras mídias deve totalizar de R$866 milhões, ou 85% sobre o valor do triênio que se encerra este ano. No caso do Palmeiras isso representaria um incremento de R$35 milhões para R$65 milhões por ano até 2014. Os clubes do Grupo 1 querem ainda mais, o Corinthians fala em R$100 milhões por ano, e estão certos em assim buscar valores mais compatíveis com o futebol mundial. Espero que os times se entendam e maximizem esta via de receita. No caso do Palmeiras isto é crítico dadas as limitações dos dirigentes em fomentar outras receitas. Como mostra o ridículo resultado do Avanti, o segundo programa de torcedores que fracassou nos últimos quatro anos.

11 de março de 2011

SAP por favor!

Com o avançado estado de putrefação do futebol nacional, não deixa de ser um bálsamo o fácil acesso que temos, via os canais por assinatura, ao futebol europeu. A Liga dos Campeões é, depois da Copa do Mundo e da Copa Européia de Seleções, a competição de futebol mais atraente do planeta. A Liga UEFA segue logo atrás, agrupando os times que não se classificaram para a Copa dos Campeões mas que, ao contrário da ridícula Sulamericana, ainda apresenta um alto nível, recheada de craques e disputada em grandes palcos. Enquanto isso as principais ligas nacionais coletivamente agrupam praticamente todos os grandes jogadores mundiais. O alto nível do espetáculo atrai dinheiro suficiente para fazer atletas dos quatro cantos do mundo sonharem em jogar lá. Até mesmo uma Ucrânia ou a pequena e querida Portugal facilmente levam as revelações e craques brasileiros ou argentinos. Esta concentração multinacional de craques garante a insuperável supremacia do futebol praticado na Europa. Tal qual acontece nos EUA com a NBA, tamanha diferença qualitativa versus o terceiro mundo futebolístico acaba elevando o nível dos futebolistas locais, como cabalmente comprovam as últimas duas Copas do Mundo onde as finais foram disputadas exclusivamente por seleções européias. 

Mas algo incomoda, e muito, para um melhor aproveitamento deste futebol de verdade. É a maldita transmissão em português. Por isso não me canso de solicitar a ESPN que libere a transmissão do áudio em inglês, e assim nos brindar com uma narração ao menos mentalmente equilibrada. Narradores e comentaristas brasileiros agridem nossos ouvidos com gritos estridentes (quando não abjetas demonstrações de latente homossexualismo), emoções falsas, informações equivocadas e as exasperastes mensagens via blog ou twitter: a quem interessa saber que "não sei quem" de "não sei onde" achou se determinado lance foi falta ou não?! Assim, enquanto não habilitam a tecla SAP vou de MUTE.

10 de março de 2011

Águas de março...

Já estamos em março, mês no qual Felipão disse que o time estaria pronto. Até agora foram 14 partidas e o desempenho, ao menos numérico, é positivo: 9 vitórias, 4 empates e apenas 1 derrota, 74% de aproveitamento dos pontos disputados. O time está embolado na liderança (por pontos) no Paulistão e caminha tranqüilo na Copa do Brasil. Falta apenas o time jogar um futebol mais vistoso, mais agradável de ver, um futebol que dê perspectiva de maior competitividade contra adversários mais fortes. E assim também atrair sua torcida: apesar dos números acima os dois últimos jogos em casa, somados, trouxeram apenas R$87 mil ao caixa do clube, isso não paga nem quatro dias do Felipão!

O torcedor, com sua ausência, parece sentir as debilidades do time por detrás dos números. Mais do que isso percebe as negras nuvens que pairam sobre o Palestra. Ainda acredito que o Palmeiras tem grandes chances de sair vitorioso nos esvaziados campeonato paulista e Copa do Brasil. Para isso precisará do melhor de Valdivia e Kleber e da máxima entrega do restante do elenco. Mas e depois? O que o futuro reserva para o Palmeiras? Os ladrões de galinha que assumiram o clube estão sem rumo. Acostumados com o gordo caixa que a Parmalat gerava e deixou quando saiu do clube, caixa este que depenaram ao longo de sete anos, encontram-se agora com a terra arrasada deixada por Belluzzóquio e sua gangue. Como não havia recursos disponíveis para um assalto mais fácil, os dirigentes anteriores atiraram o clube em dívidas impensáveis apenas para gerar seus nefastos espólios. O clube não tem como pagar as despesas mensais, que dizer então das dívidas com os bancos, Traffic, Lincoln, Eternos Palestrinos e da compra de Valdivia. Terá que continuar a recorrer aos bancos para cobrir o déficit e, assim, incorrer em mais dívidas e juros, num circulo vicioso que pode levar ao fim um clube que um dia foi dos melhores do país. Fim este que pode ser decretado prematuramente caso a desejada Arena resulte apenas nos destroços do Palestra Itália.

Enquanto o time naufraga financeiramente, o time em campo enfrenta problemas crescentes. Além da falta do propalado centroavante, um meia esquerda é também urgente dado o afastamento de Lincoln que restringiu a Valdivia toda a criatividade do time. As saídas de Danilo "Cuspe" e Mauricio Ramos deixará o time com apenas dois zagueiros no elenco: Thiago Heleno e Leandro Amaro. Portanto, ao menos um zagueiro se tornará mais uma prioridade. Ou seja, se o time não consegue hoje um centroavante, conseguirá recompor o elenco destas três prioridades? Tudo indica que o time seguirá enfraquecido no segundo semestre quando os torneios ficam mais competitivos.

Time com perspectivas de desempenho negativas no prazo médio, probabilidade de receitas estagnadas, dívida tão alarmante quanto galopante e caos político. Eis o Palmeiras hoje.

Noroeste 1 x 2 Palmeiras


O Palmeiras caminhava para mais um mau resultado quando Valdivia, que vivia noite menos inspirada que o normal, resolveu o jogo e decretou a virada. No final o 2 a 1 contra o Noroeste, gols de Valdivia e Vinícius, recolocou o time entre as quatro primeiras posições. Mais uma vez vimos a dependência do time dos seus dois atletas principais: Kleber fez muita falta no ataque, e somente quando Valdivia brilhou o time conseguiu chegar ao gol adversário.
O time vai necessitar dos dois em boa forma para buscar o título paulista.


Deola: Sem culpa no gol.
Cicinho: Bem na defesa e muita velocidade no ataque, mas errou todos os cruzamentos.
Thiago Heleno: Mostrou dificuldade em conter o fraco ataque adversário.
Danilo "Cuspe": Outro que apanhou na bola aérea do Noroeste.
Gabriel Silva: Como Cicinho foi bem defensivamente, mas pouco efetivo no ataque.
Márcio Araújo: Abusou dos passes errados.
Marcos Assunção: Muito mal. Pesado, errando passes e ineficaz na bola parada. João Vitor: Deu um pouco mais de dinamismo no meio de campo.
Tinga: Vai lentamente se queimando dentro do esquema adotado por Felipão. Vinícius: Vinha muito mal até receber o presente de Valdivia e desencantar com seu primeiro gol após um ano no elenco principal.
Valdivia: Mesmo pouco atuante carregou o time nas costas.
Luan: Furadas, cabeçadas para trás e escorregões. Tudo normal. Pardalzinho: Errou em todas as suas tentativas de jogada.
Adriano: Péssima partida. Perdendo quase todos os seus lances.


Fora de campo a coisa não vai muito melhor. Felipão fala em renovar contrato com Marcos Assunção até o final do próximo ano (!) "por que ele é importante fora de campo". Prefiro jogadores que sejam importantes dentro de campo. Fora de campo o time já paga o técnico mais caro fora da Europa para resolver as coisas, e Felipão ainda conta com nada menos do que três auxiliares. Além disso, hoje o time já paga o terceiro e quarto maior salário do elenco para jogadores que não jogam: Lincoln e Marcos. Marcos Assunção, aos 35 anos, vai juntar-se ao insano Plano de Previdência Privada do Palmeiras. Só falta Felipão também pedir para comprarem o Luan cujo contrato de empréstimo encerra-se em julho.

Palmeiras B empata pela A2

O time B apenas empatou em casa contra o Pão de Açúcar por 3 a 3 – gols de Gualberto, David e Nadson – e ainda não saiu da zona de rebaixamento, ocupando agora a última colocação do seu grupo na A2. O time jogou com: Rafael Alemão; David, Gualberto, Rafael e Andrade; Didi, Bruno Turco, Anselmo (Luís e depois André Lamas) e Gilsinho; Nadson e Joãozinho (Amoroso).

A próxima partida, também em casa, contra o União Barbarense será fundamental. O adversário está na penúltima colocação a três pontos do Palmeiras B e uma vitória pode representar a saída da incomoda atual posição.

9 de março de 2011

A nutricionista e os bostas

O que dizer do corte da nutricionista da concentração por economia? Que o clube está em destruído financeiramente após Belluzzóquio e seus comparsas ninguém nega. Mas os bostas que dirigem o clube acham que será reduzindo custo da diária da nutricionista que vão arrumar a casa? Ridículo.

Estes bostas não se importam em manter o time B que dá mais de R$12 mil de despesa por partida jogada em Jaguariúna (fora o custo dos jogadores, comissão técnica e treinamentos) e acham que a diária da nutricionista vai resolver o problema?

Estes bostas mantêm uma mensalidade ridícula para satisfazer os sócios-merdas do clube social, ignorando os milhões de déficit gerado, e acham que a diária da nutricionista vai resolver o problema?

Estes bostas não fazem nada para vender ou revogar o contrato com um bando de encostados na caçamba, e acham que a diária da nutricionista vai resolver o problema?

Estes bostas não fazem nada para acabar com os inúmeros esquemas corruptos em praticamente todos os departamentos do clube social, e acham que a diária da nutricionista vai resolver o problema?

Estes bostas não acionam a justiça para tentar reaver parte do assalto praticado nas gestões anteriores, e acham que a diária da nutricionista vai resolver o problema?

Estes bostas não fazem nada para revolucionar o natimorto Avanti ou gerar outras receitas, e acham que a diária da nutricionista vai resolver o problema? 

Estes bostas mantêm Felipão no comando da equipe apesar do seu salário incompatível com o futebol nacional, e particularmente com a situação financeira do clube, e acham que a diária da nutricionista vai resolver o problema?

O Palmeiras está definhando. A torcida diminui a olhos vistos e a tendência é de aceleração desta redução. Prevendo o fim, os sócios-merdas se assanham em roubar tudo o que podem o mais rápido possível. E isso está acelerando o processo. Até quando um ser humano conseguirá torcer por este time?

6 de março de 2011

Time B segue na zona de rebaixamento

O time B perdeu ontem do São José por 2 a 1, gol de Nadson, e segue na zona de rebaixamento da A2. O time jogou com: Rafael Alemão; David, Gualberto, Rafael (Amoroso) e Andrade; Didi, Bruno Turco, Anselmo (Raílson) e Nadson; Joãozinho e Luis (Tindurim). Reparem que o "encostado" centroavante Luis reapareceu no time B. Notem também que o time jogou com seis jogadores que nos últimos tempos estiveram listados no elenco principal. Todos produto da politiqueira campanha "base forte" dos dirigentes.

Faltando cinco rodadas para terminar a primeira fase da competição o time já não tem mais chances matemáticas de avançar à próxima fase. Resta a batalha contra o rebaixamento, contra o qual serão fundamentais os resultados das próximas duas partidas, em Jaguariúna, contra adversários imediatamente acima do Palmeiras B na classificação.

Palmeiras 0 x 0 Santo André


Mesmo com um jogador a mais em campo desde os 25 minutos do primeiro tempo o Palmeiras não conseguiu sair do empate sem gols contra o Santo André, um dos últimos colocados da competição. A razão para este fracasso é clara: as ausências de Kleber e Valdivia, os únicos jogadores de qualidade no elenco. Gabriel Silva e Tinga são promessas, mas ambos precisam ainda evoluir e Tinga é mal posicionado taticamente.

Sem seus dois "craques" o time pouco conseguiu criar, mesmo depois da expulsão do jogador adversário. Com um meio de campo com três volantes e um pseudo-meia, o time dependia do apoio dos laterais, mas ambos, principalmente Gabriel Silva, não estavam inspirados. As loucuras financeiras em trazer e manter Felipão, Kleber e Valdivia forçam o time agora a ter apenas um bando de medíocres para acompanhar estas três "estrelas". Se ao menos houvesse um trabalho nas bases, poderíamos ter jovens adicionando qualidade ao elenco. Mas atualmente a produtividade de bons valores está abaixo do já historicamente fraco desempenho.

Deola: Só foi exigido uma única vez e correspondeu.
Cicinho: Boa atuação, mas sem agudez ofensiva. João Vitor: Suas entradas até hoje nunca produziram um efeito positivo. Limitadíssimo tecnicamente.
Thiago Heleno: Pouco exigido, não comprometeu.
Danilo "Cuspe": Mesmo sem muito trabalho quase entregou um gol ao adversário.Gabriel Silva: Atuou abaixo daquilo que já demonstrou poder produzir. Luan: Horrível.
Márcio Araújo: Na hora de atacar faltou-lhe capacidade técnica para tal.
Marcos Assunção: Bem que tentou armar o time, mas falta-lhe pernas.
Tinga: Felipão está desgastando o jogador ao escalá-lo com a função de meia.
Patrik Camilo: Deveria ser o meia do time mas mal tocou na bola. Falta-lhe padrão tático, criatividade, técnica, visão de jogo e liderança para comandar um time.
Adriano: Até que tentou voltar para ajudar na armação, mas com reduzido efeito.
Miguel: Facilmente engolido pela defesa adversária. Vinícius: Há um ano no elenco principal, mais de vinte jogos em campo e ainda não fez um gol ou mostrou a que veio. 

Com isso o time alcançou quatro jogos sem vitórias no Paulista e caiu para a quinta posição, o que lhe tiraria o mando de campo se as oitavas-de-final fossem definidas nesta rodada.